Crianças Alemãs proíbidas de utilizar Relógios Inteligentes

O governo alemão proibiu hoje as vendas domésticas de smartwatches/relógios inteligentes para crianças, sendo que estes dispositivos podem ser usados para espiar. Avisando que os pais usavam os dispositivos para escutar secretamente os professores na escola de seus filhos.

Em um anúncio na passada sexta-feira 17.11.2017, o órgão de vigilância das telecomunicações da Agência Federal de Telecomunicações “watchdog” disse que já havia tomado medidas contra alguns lojas on-line. E o grupo alvo para os smartwatches são crianças entre idades de 5 aos 12 anos. Dizendo que:

“Através de um aplicativo, os pais podem usar os relógios de tais crianças para ouvir para espiar conversas ao arredores do ambiente da criança e devem ser considerados como um sistema de transmissão não autorizado”, disse Jochen Homann, presidente da Agência de Rede Federal, em um comunicado. Dizendo ainda que “De acordo com nossa pesquisa, os relógios dos pais também são usados para ouvir professores na sala de aula”.

Situação semelhante, aconteceu em fevereiro do ano em curso, e a mesma agência federal proibiu as vendas de uma boneca conectada à Internet  chamada “My Friend Cayla”, em um país onde é ilegal fabricar, vender ou possuir dispositivos de vigilância disfarçados de outro objecto.

Jayla, de quatro anos de idade, brinca com a boneca My Friend Cayla na loja de brinquedos Hamleys em Londres. Fotografia por: Rob Stothard / Getty Images

Na sexta-feira, a agência alertou que há um grande número de fornecidor no mercado alemão que estão oferecendo smartwatches para crianças, dispositivos este que contêm uma função de espia auditiva, muitas vezes conhecido como um “monitor de bebê” no aplicativo complementar.

O proprietário do aplicativo pode silenciosamente connectar-se para o dispositivo através de tais funções e espiar e ouvir as conversas do usuário do relógio e outras pessoas aos seu arredor, o que é um acto de vigilância secreta que é ilegal na Alemanha.

A agência instruiu os pais a destruir todos os dispositivos que compraram e pediu às escolas que estivessem atentas com as crianças que estivessem a usar qualquer smartwatch.

A última proibição pode aumentar a pressão para que a Comissão Europeia considere se é necessária a regulamentação da União Europeia para dispositivos conectados destinados a crianças. Em fevereiro, o comissário para a justiça, os consumidores e a igualdade de gênero, expressou preocupação, dizendo à BBC: “Estou preocupado com o impacto das bonecas conectadas na privacidade e segurança das crianças”.

 

AngoForGeeks,

Por Uma Angola Melhor

Anúncios